Carreira ou maternidade? Com o congelamento de óvulos, os dois são possíveis

By: | Tags: | Comentários: 0 | julho 24th, 2019

O congelamento de óvulos sadios para serem utilizados na reprodução assistida é uma das formas que as mulheres, acima dos 40 anos, têm disponível para engravidarem com seu próprio material genético.

É sabido que para muitas, a carreira profissional torna-se prioridade em determinada etapa da vida e nem sempre é possível conciliá-la com o papel de mãe. O ritmo de trabalho acaba exigindo muito tempo e dedicação das mulheres, em consequência disso, a gravidez é adiada para uma fase em que a carreira esteja mais consolidada.

Por volta dos 35 anos a mulher está perto ou está no ápice da carreira. Mas é também, por volta dessa faixa etária que os folículos (onde ficam os óvulos) vão se deteriorando gradativamente nos anos subsequentes, causados por fatores diversos como: o envelhecimento natural, estresse, má alimentação, impactos ambientais, entre outros, diminuindo as chances de fecundação. Esse impasse acaba criando um conflito interno e muitas mulheres, em algum momento da vida, se perguntam: carreira ou a maternidade?

Congelamento de óvulos
A boa notícia é que a medicina reprodutiva evoluiu bastante e uma das técnicas que está ajudando as mulheres a conciliar carreira e maternidade é o congelamento de óvulos.

O processo passa por várias etapas:

1ª etapa: são realizados diversos exames para constatar que as condições dos óvulos sejam boas e que nenhuma doença ou outra condição comprometa a qualidade. Além disso, avalia-se o potencial de cada mulher em produzir esses óvulos quando estimuladas.

2ª etapa: constatando-se que estão bons para a serem fertilizados, a paciente recebe medicamentos injetáveis, comumente na barriga, para induzir o aumento do número de óvulos. Esse período pode demorar mais ou menos 10 dias.

3ª etapa: por meio de um procedimento cirúrgico utilizando alta tecnologia, uma agulha, acoplada a um aparelho de ultrassom, extrai o líquido dos folículos onde estão os óvulos. O número ideal de óvulos que poderiam garantir uma gravidez futura pode variar entre 15 e 20 óvulos. Por esse motivo, se necessário, serão realizadas várias coletas em períodos diferentes.

4ª etapa: os óvulos são retirados de dentro dos folículos e aguardam por volta de duas horas no laboratório (em condições adequadas) para que atinjam a maturação. Depois, são mergulhados em uma substância congelante para proteger e ajudar na diminuição de líquido interno, a fim de evitar a formação de cristais que pode comprometer sua integridade. A partir daí, os óvulos são colocados em nitrogênio líquido a uma temperatura de -196ºC, causando um choque imediato de congelamento.

A partir do momento em que são congelados, os óvulos ficam guardados sob essas condições extremas de temperatura por até dez anos. Quando inicia o processo de fertilização in vitro, são retirados do nitrogênio líquido, fertilizados e, dos embriões resultantes (de um a dois) são implantados no útero da paciente.

Causas da infertilidade
As mulheres produzem óvulos de boa qualidade até os 35 anos. Isto significa que a probabilidade de fecundação é bem elevada. A partir dessa idade as condições do óvulo vão caindo, gradativamente.

Estudos científicos apontam que as mulheres com idade inferior a 30 anos têm 20% de chance de engravidar a cada ovulação. Depois dos 40 anos, esse percentual se reduz para apenas 5%, ou seja, em uma década, a fertilidade cai consideravelmente.

Para se ter uma noção dessa evolução aos 34 anos 11% das mulheres são inférteis. Aos 40, 33% não podem ter filhos. Aos 45 anos, 87% ficam inférteis.

Não é só a idade que pode comprometer a qualidade dos óvulos e levar à infertilidade. Como já foi dito, outros fatores podem acarretar essa condição:

Álcool: se consumido em excesso, causa um funcionamento inadequado dos ovários e como consequência, irregularidade no ciclo menstrual, que pode levar à ausência de ovulação.

Cigarro: as substâncias químicas encontradas nos cigarros afetam diretamente o organismo, incluindo a produção dos hormônios que regulam a ovulação.

Drogas: o uso de entorpecentes age diretamente na produção hormonal do cérebro, que passa a enviar comandos confusos ao restante do organismo, até mesmo para o sistema reprodutor.

Obesidade: o excesso de gordura corporal causa inflamação no fluído folicular que rodeia os óvulos, comprometendo seu desenvolvimento pleno.

A técnica do congelamento de óvulos permite que as mulheres consigam se dedicar à sua carreira e, depois de alcançarem a estabilidade profissional e financeira, pensem na maternidade. Mas é importante consultar uma clínica especializada em reprodução humana o quanto antes, porque os óvulos precisam estar em boas condições e isso só acontece até os 35 anos.

You must be logged in to post a comment.